NOTÍCIA detalhes

Set e Out, 2014

ONE Yachts confirma sua participação no Casa&Cia  

Santa Catarina e Rio Grande do Sul unificam a marca para Casa&Cia e reforçam ainda mais a representatividade no mercado de decoração e arquitetura a partir do caderno e da Mostra

Próximo de completar 20 anos no mercado catarinense, o caderno Casa Nova ganha mais força e muda o nome para Casa&Cia. A unificação da marca na publicação que é referência nos jornais do Grupo RBS nos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul resulta em maior sinergia de conteúdo e apelo editorial a partir da integração da rede. O nome muda, mas o produto manterá o seu DNA com conteúdo próprio, destacando profissionais e projetos catarinenses.

Este novo batismo também se estende à Mostra Casa Nova, realizada há 12 anos pelo Diário Catarinense, e que a partir desta edição torna-se Mostra Casa&Cia. O evento passa a integrar a agenda de exposições na área de arquitetura e decoração realizadas pela RBS em Porto Alegre, Serra Gaúcha e no Litoral do Rio Grande do Sul.

Com essa mudança, o cenário catarinense da arquitetura e interiores, bem como os profissionais, empresários e lojistas do setor, ampliam a relevância no mercado nacional.

As inovações não param por aí. Pela primeira vez a Mostra realizada pelo Diário Catarinense ocorrerá de maneira simultânea em dois lugares: no Primavera Garden, Rodovia SC-401, e no Continente, no Passeio Pedra Branca, em Palhoça.

Segundo o curador do evento, o arquiteto Abreu Jr., tal decisão foi tomada por observar o desenvolvimento econômico e da arquitetura da Grande Florianópolis, pontualmente nessas duas localidades.

— A parte continental cresceu, tem empreendimentos de grande porte e qualidade, além de um bairro-cidade modelo premiado internacionalmente (Pedra Branca). Por outro lado, um ponto sedutor na parte insular é o caminho da SC-401 que concentra um grande fluxo de lojas de decoração, um corredor da moda casa. E não podemos esquecer que o Primavera Garden foi o local precursor da decoração na via. É mais do que um ponto de venda de plantas, se tornou uma parada obrigatória no sentido das praias — destaca.

Nesta entrevista com Abreu Jr., confira detalhes da Mostra 2014. O conceito do evento será apresentado hoje para arquitetos, decoradores e potenciais parceiros, durante um brunch na sede do DC em Florianópolis. A Mostra Casa&Cia abre as portas ao público em setembro.

Qual o conceito trazido para a Mostra 2014?
Abreu Jr.:
O conceito se volta para assuntos da atualidade. A casa e a casa das casas (a cidade). A Mostra por dois anos esteve em lugares históricos para colaborar na revitalização de edificações do patrimônio, mas também com um olhar para o urbano. Em 2013 ela abordou o conceito de ocupar a área leste do Centro de Floripa. Um local que era esquecido e hoje tem uma luz própria. Em 2014, instigamos as pessoas a pensarem o universo da casa. Onde as pessoas preferem morar? Qual é a cara da decoração dessas pessoas? O que é mais importante numa cidade? São questionamentos que a Mostra vai levar ao público, além das tendências estéticas.

Como ficará a distribuição do evento a partir da localização?
Abreu jr.:
Na SC-401 teremos a Mostra Ilha e no Continente a Mostra Passeio, na Pedra Branca. Tanta numa quanto na outra o público encontrará ambientes de casa e corporativos. Na Casa&Cia Ilha teremos também o retorno de apartamentos-modelo, réplicas de lançamentos imobiliários, além de ambientes conceituais.
No Continente, a Mostra será um passeio literalmente. O visitante se deslocará de um prédio ao outro, cruzando uma rua compartilhada que privilegia o pedestre. Terá a experiência da rua, do urbano, do contato com as pessoas. É preciso mostrar este conceito de novo urbanismo, que está ao nosso lado. Precisamos valorizar essas ideias de um grupo de arquitetos, urbanistas e empreendedores que pesquisam. As cidades brasileiras estão com muitas patologias, precisamos acordar para isso e trazer novas soluções.

Exemplifique alguns dos ambientes que estarão na exposição.
Abreu Jr.:
O mix de ambientes será muito variado: praça, cafés, restaurante, escritórios, estúdios, salão de design e um setor voltado para produtos exclusivos (adega, joalheria, patisserie, moda).

Qual o público-alvo da Mostra?
Abreu Jr.:
Se sabe, por meio de pesquisa, que o maior público é feminino. Por outro lado queremos estimular toda a família a frequentar a Mostra. Os dois lugares remetem a um passeio, e o mix de produtos vai atrair os homens este ano também. A expectativa é que teremos mais de 25 mil visitantes, pois os lugares possuem um fluxo natural de pessoas.

O que os parceiros devem esperar desta edição?
Abreu Jr.:
Os parceiros terão um público compatível com seus negócios e um cenário de possibilidades de network, seja com arquitetos e decoradores ou com o público final. Será uma Mostra de grandes resultados.

Selecione a foto desejada para ampliar.